Política de Segurança da Informação: 05 passos para criar na sua empresa

politica de segurança da informação

Definir uma Política de Segurança da Informação é o primeiro passo para aumentar a credibilidade do seu negócio e a confiança dos seus colaboradores. Descubra o que é, para que serve e como começar a elaborar no seu negócio.

A informação é um dos ativos mais importantes de qualquer negócio. No entanto, ela só tem valor quando é confiável, só pode ser acessada pelas pessoas certas e está disponível sempre que seu uso é necessário. Nesse contexto, a criação e a aplicação de uma política de segurança da informação são ações fundamentais em empresas de todos os tamanhos e segmentos de atuação.

A política de segurança da informação é o primeiro passo de quem busca aumentar a credibilidade da empresa em termos de TI e assegurar a confiabilidade dos dados usados por funcionários, gestores e clientes. Continue lendo esse artigo e entenda mais sobre a importância desse tema.

O que é política de segurança da informação?

A política de segurança da informação (PSI) é um conjunto de regras, procedimentos, padrões, normas e diretrizes a serem observados e seguidos por todas as pessoas que utilizarem a infraestrutura da empresa. Ela inclui informações como:

  • Política de senhas e acesso aos dispositivos corporativos
  • Normas sobre o uso da internet
  • Regras a respeito da instalação de softwares
  • Boas práticas de uso de e-mail corporativo
  • Rotinas de backup
  • Frequência de realização de auditorias

Enfim, a PSI é um documento completo que serve como guia tanto para a equipe de TI quanto para os demais colaboradores. Ela deve ser divulgada amplamente e a sua adesão precisa ser incentivada e cobrada por todos os líderes.

Qual o objetivo da política de segurança da informação?

O objetivo da PSI é garantir a segurança dos ativos da empresa. Ela busca tanto prevenir incidentes quanto impedir que erros cometidos no passado se repitam.

Por definição, um ativo é tudo aquilo que pode ser transformado em valor para a empresa. Quando falamos em informação, ela só tem valor se os três pilares da segurança forem alcançados: confidencialidade, integridade e disponibilidade, também conhecidos como CID.

Confidencialidade

A confiabilidade é o pilar que garante que as informações sejam visualizadas apenas por quem tem esse direito. Imagine que seu concorrente descobre um processo desenvolvido por você que garante mais qualidade ao seu produto. Caso isso acontecesse, essa informação, antes importante para seu negócio, perderia todo o seu valor.

Integridade

Já a integridade diz respeito ao nível de confiança sobre a veracidade das informações. A informação deve ser entregue corretamente a todos os usuários que precisam recebê-la. Assim, a segurança da informação busca garantir que os dados corporativos estejam íntegros e confiáveis.

Disponibilidade

Por fim, a informação precisa estar disponível quando ela é demandada. Se, por exemplo, seu servidor fica sem energia e você não tem um equipamento para mantê-lo ligado, a disponibilidade da sua informação está comprometida.

Portanto, na hora de elaborar uma política de segurança da informação, você precisa ter esses três pilares em mente.

Por onde começar a elaborar uma PSI?

Na visão da AllEasy, uma política de segurança da informação pode ser elaborada em 5 passos, e listamos a seguir quais são:

1.     Diagnóstico

Antes de mais nada, faça a identificação dos ativos de informação da empresa, das vulnerabilidades, da hierarquização de acessos e das ameaças. Ao fim do diagnóstico, você deverá saber exatamente quais dados e ativos precisam ser protegidos, quais são os riscos e o que já tem sido feito em termos de segurança.

2.     Elaboração

A segunda etapa é a elaboração propriamente dita. A política de segurança da informação deve estar diretamente relacionada aos objetivos estratégicos do negócio. A pergunta a ser respondida é como a segurança da informação pode ajudar a empresa a alcançar suas metas.

É importante ainda ter em mente que essa não é uma tarefa apenas do time de Tecnologia da Informação ou da área de segurança. Tomos os gestores e decisores da empresa devem ser envolvidos no processo de definição das políticas e procedimentos, de maneira que as necessidades específicas de todos os setores sejam alcançadas.

3.     Educação

Uma política de segurança da informação que fica guardada na gaveta do gerente de TI ou do gestor de segurança da informação não tem muita utilidade. Para que ela seja útil, é necessário divulgar e educar os usuários para que eles entendam os benefícios da segurança dos dados.

A conscientização é sempre uma grande ferramenta para a prevenção de incidentes. Por isso, mais do que uma lista de proibições, permissões e regras, a política de segurança da informação deve ser vista pelos usuários como uma ferramenta de trabalho que serve para ajudá-los em suas rotinas.

4.     Implementação

Na hora da implementação, deve-se planejar uma fase de adaptação gradual às regras. A empresa precisa oferecer meios para que os funcionários aprendam a trabalhar respeitando a PSI. Para isso, podem ser feitas palestras e treinamentos, além de estabelecer sanções para o descumprimento das regras.

Realizar eventos apresentando cenários reais pode ser uma ótima estratégia para educar os colaboradores e para trazer para a realidade do trabalho a importância das políticas de segurança.

5.     Monitoramento e atualização

Por fim, lembramos que o processo não termina com a implementação. Uma vez que a empresa está adaptada às regras, é hora de identificar oportunidades de melhoria e fazer atualizações sempre que necessário. Busque maneiras de medir o retorno das ações de segurança e dos investimentos e verifique se a PSI ainda reflete os objetivos da empresa.

Portanto, vimos que a política de segurança da informação é o pontapé inicial de um processo para resguardar dados, arquivos e dispositivos valiosos para a empresa. A elaboração da PSI e sua implementação mostram que a empresa está caminhando para educar os usuários sobre a segurança da informação e ter sistemas seguros e confiáveis.

E você, já tem ou está pensando em elaborar uma política de segurança da informação? Como foi o processo de implementação na sua empresa? Escreva um comentário e conte para a gente!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *