Segurança na nuvem funciona?

Segurança na nuvem

Será que os seus dados estão seguros na nuvem? Descubra se a segurança na nuvem funciona.

Os serviços de nuvem definitivamente vieram para ficar e já são uma realidade. Em uma pesquisa com mais de mil empresas globais, incluindo líderes brasileiros, 56% dos participantes afirmaram que dão prioridade aos serviços de nuvens para implantação de novos aplicativos. Apenas 1% disse que não deve adotar nenhum serviço de nuvem nos próximos anos. Apesar da popularidade, muita gente ainda questiona: a segurança na nuvem funciona?

Vamos responder logo à pergunta: sim, a segurança na nuvem pode funcionar muito bem. Como quase tudo relacionado a segurança da informação,  a segurança na nuvem não é um processo isolado e depende de uma série de fatores.

A responsabilidade pela segurança na nuvem não é apenas do provedor dos serviços, mas também da empresa que contrata e de seus colaboradores. Entenda os motivos.

O que é segurança na nuvem?

Para começar, o cloud computing, ou computação em nuvem, é uma forma de trabalho em que os softwares, os dados ou a infraestrutura da empresa não ficam localizados nas dependências da empresa, mas são armazenados em servidores remotos disponibilizados por um provedor.

As principais vantagens desse sistema são a economia de espaço e dinheiro, escalabilidade e ganho em flexibilidade, já que os serviços contratados podem ser modificados conforme a necessidade da empresa.

O que muita gente não sabe é que esse modelo também traz mais segurança para a sua empresa. Tudo que está na nuvem está protegido pelo que há de mais moderno em segurança. Isso acontece porque essa é a grande prioridade de empresas que trabalham com esse tipo de aplicação. Mas atenção: isso não quer dizer que ao migrar para a nuvem você não precisa mais se preocupar com a segurança.

Por que você deve se preocupar com a segurança na nuvem?

Porque a empresa que contrata o serviço ainda é responsável pela segurança dos dados, mesmo com todos os esforços dos provedores. O provedor da nuvem vai garantir proteção dos servidores e dos dados contra os ataques, desastres, roubos de dados etc.

Ao contratante, cabe a tarefa de classificar as informações de acordo com o nível de confidencialidade e trabalhar para que nenhum acesso indevido seja feito por meio da sua própria infraestrutura. Por exemplo, é você quem deve controlar usuários e permissões de acesso à nuvem, além de proteger a troca de informações entre a sua rede e os servidores da nuvem.

Uma pesquisa da McAfee mostra que 83% das empresas armazenam dados sensíveis na nuvem, mostrando a relevância do assunto. E se a sua estrutura está vulnerável, sua nuvem também estará.

Quais as principais ameaças de segurança na nuvem?

Contratar um provedor com reputação sólida e qualidade garantida, já é um primeiro passo para que a sua empresa tenha tranquilidade e sinta-se segura.

As principais ameaças de segurança na nuvem estão, portanto, na sua própria empresa e podem ser:

  • roubos de dados de acesso dos seus funcionários;
  • informações confidenciais que não foram devidamente classificadas e estão disponíveis para pessoas que não deveriam acessá-las;
  • ações deliberadas de funcionários com o intuito de prejudicar o negócio;
  • erros cometidos por seus colaboradores que geram perdas de dados, por exemplo, ao deletar um arquivo por engano;
  • invasões aos seus dispositivos que permitem que terceiros acessem a nuvem sem o seu consentimento.

Por onde começar para garantir a Cloud Security?

Primeiramente, você deve trabalhar a cultura interna da sua empresa para que todos os usuários saibam os riscos e como evitá-los. A conscientização é sempre um bom começo para a segurança da informação.

Você deve identificar os riscos do seu próprio sistema e trabalhar para controlá-los. Como falamos, não é porque você vai migrar para a nuvem que a sua infraestrutura não precisa de soluções para prevenção e mitigação de riscos, antivírus, firewall, proteção contra malware e assim por diante.

Não se esqueça de classificar todas as informações e fazer as identificações de cada usuário que acessará os serviços de nuvem. Use os recursos à sua disposição para implementar permissões individuais que garantirão que cada pessoa acesse apenas os dados que são necessários para o trabalho dela.

Por fim, pense em adquirir uma solução de segurança em nuvem. A recomendação da AllEasy é o Cloud Access Security Broker, um software de segurança da informação que realiza o controle do tráfego na internet em um sistema de nuvem. Ficou curioso? Clique aqui e conheça tudo sobre o CASB!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *