Orçamento para Segurança da Informação: Como planejar?

Orçamento para Segurança da Informação

Ano após ano, as empresas tentam responder a mesma questão: Como planejar o orçamento para Segurança da Informação?

Qual é o tamanho do investimento que uma empresa deve fazer para proteger a sua infraestrutura e fortalecer as políticas de segurança cibernética? A resposta? Bem, isso não é tão simples.

Quando o assunto é proteger dados corporativos e informações dos clientes sabemos que as empresas não podem mais contar com a sorte e nem deixar ao acaso. É preciso agir. Isso porque o número de ataques cibernéticos no Brasil quase que dobrou em 2018.

Infelizmente não podemos dizer o mesmo em relação aos investimentos em segurança da informação e essa desconexão aqui é preocupante.

As empresas já sabem que precisam de planos robustos de segurança cibernética, adaptados ao seu tamanho, escala e perfil de risco. Elas também sabem que seu futuro está em jogo sem eles. É hora, portanto, de retomar o controle.

Ao analisar e investir no orçamento para Segurança da Informação, adotando protocolos adequados e incluindo a segurança cibernética com sua própria linha nos orçamentos anuais, as empresas não estão mais vulneráveis a hackers, na esperança de passar despercebidos pelos ladrões de dados.

Definir bem o orçamento para Segurança da Informação proporciona benefícios comerciais reais ao longo do caminho. Listamos algumas informações e dicas para planejar corretamente o orçamento para Segurança da Informação em sua empresa. Acompanhe!

Vamos lembrar: principais riscos à sua segurança cibernética?

Não há maneira de adoçar isso: ataques cibernéticos são a norma hoje, não a exceção.

As empresas do século XXI devem fortalecer suas operações internas baseadas na tecnologia se quiserem se preparar para alguns dos maiores riscos de segurança cibernética da atualidade.

E esses riscos são numerosos, com dezenas de tipos de ataque que, aparentemente, podem fazer com que as defesas de um negócio pareçam estar sempre em dia. No entanto, certos ataques cibernéticos são mais comuns que outros.

Analisamos as cinco principais ameaças cibernéticas enfrentadas pelas empresas hoje, bem como seus custos ou perdas associadas, tudo para te dar uma base para preparar os orçamentos adequados de segurança. Veja só:

  • Malware: representa uma grande parte das ameaças. Esses softwares maliciosos, sejam eles vírus, spyware, keyloggers ou worms, têm uma intenção — entrar e interromper ou desativar um sistema de computador. Hoje, mais de 90% dos malwares são entregues via e-mail, geralmente ocultos na forma de anexos infectados ou links suspeitos. Tudo o que precisamos é que um funcionário bem-intencionado clique ou faça o download para que o malware possa atravessar suas defesas;
  • Phishing: foram um dos grandes responsáveis pelo aumento no número de ataques no último ano. Os esquemas avançados de phishing geralmente espelham as comunicações eletrônicas de contatos confiáveis, como fornecedores ou de outras empresas com as quais você trabalha. O objetivo é coletar dados confidenciais da sua empresa ou funcionários, como informações contábeis ou números de cartões de crédito;
  • Ransomware: ataques de ransomware estão entre as ameaças de segurança cibernética mais rápidas e predominantes apresentadas em organizações, com a intenção usual de desligar servidores ou manter dados e arquivos como reféns até que um resgate seja pago;
  • DDoS: o ataque distribuído de negação de serviço ocorre quando solicitações de recursos legítimos são bloqueadas, enquanto os sistemas tentam suportar e direcionar grandes quantidades de tráfego falso, mas de aparência legítima, causando indisponibilidade dos sistemas;
  • Erro humano: divulgações não intencionais, exclusões acidentais de dados ou descarte indevido de arquivos confidenciais estão todos sujeitos a erros humanos, uma ameaça empresarial comum, ainda que menos abordada. Os erros humanos tornam o treinamento em conscientização sobre segurança e as políticas de manipulação de dados ainda mais imperativas.

Benefícios de investir no orçamento para Segurança da Informação?

Existem inúmeras vantagens de investir em defesas de segurança da informação. A palavra de ordem aqui, porém, é orçamento.

De acordo com alguns especialistas do setor, um orçamento para Segurança da Informação robusto de nunca deve estar abaixo de 3% do total de despesas de capital de uma empresa. Se estiver abaixo disso, não está adequado.

As empresas devem tratar suas políticas e tecnologias de segurança cibernética como fazem qualquer investimento, ou seja, fluidas, de longo prazo, orientadas para o desempenho e com metas quantificáveis.

Os gastos de capital podem ser canalizados da forma mais estratégica possível quando a segurança da Informação é praticada como um braço das operações cotidianas, e não como uma linha vermelha nos orçamentos anuais.

Quando feito corretamente, esse orçamento para Segurança da Informação se transforma em benefícios tangíveis e intangíveis para uma organização. São eles:

1. Solidificar a relação de confiança com clientes e, portanto, sua reputação

As manchas de dados mal administrados ou violações de rede são difíceis de serem eliminadas. Algumas organizações agora são famosas por ter sofrido incidentes e suas reputações não serão reparadas tão cedo.

Empresas que proativamente protegem os dados de seus clientes não apenas priorizam esse aspecto das operações de negócios; elas estão dizendo ao mundo que levam essa responsabilidade a sério. As organizações que realizam esse esforço obtêm as recompensas com clientes mais fiéis e felizes.

2. Proteger seus ativos de negócios mais valiosos

Um único ponto ou registro de dados comprometido pode custar centenas de reais a uma empresa. Esses custos variam dependendo do incidente de segurança cibernética que os violou, bem como de outras despesas orçamentárias, como paralisações do sistema, paralisações de funcionários, correções do sistema, perda de clientes e, em alguns casos, multas regulamentares.

3. Reduzir ameaças de segurança internas e externas

Planejar e dedicar parte do orçamento para Segurança da Informação significa optar por investir no futuro da sua empresa. Você está harmonizando intencionalmente as metas de amanhã com as práticas atuais de gerenciamento de riscos, ajudando a garantir um caminho mais fácil para alcançar essa visão.

Tudo isso é mais bem realizado por meio de um orçamento para Segurança da Informação cuidadoso para mitigar surpresas. Você terá dinheiro e recursos já reservados em caso de emergência, mas também recursos preventivos no local para cuidar da sua segurança todos os dias.

4. Reforçar a conformidade regulamentar a todos os níveis

Se houvesse alguma dúvida sobre a importância do orçamento para Segurança da Informação e do gerenciamento de dados, o aumento nos regulamentos hoje deve eliminá-la. O Brasil intensificou a proteção aos dados pessoais com a aprovação da LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados.

A LGPD veio em resposta a um movimento internacional de regulamentação do uso de dados na internet — movimento este iniciado pela União Europeia com a aprovação da GDPR. As organizações consideradas não compatíveis com esses regulamentos de dados não estarão no mercado por muito tempo.

5. Tranquilidade operacional

O orçamento para Segurança da Informação proporciona aos negócios mais tranquilidade e a certeza de que a empresa está preparada, em conformidade, seguras e bem-sucedida. Qual gerente não quer isso?

Você tem mais visão administrativa das redes, maior visibilidade das operações, maior confiança nos funcionários e maior controle dos aplicativos do dia a dia.

Além disso, sua empresa está mais preparada para adotar tecnologias emergentes, como Inteligência Artificial, serviços em nuvem e até blockchain, já que suas práticas de segurança cibernética já estão sob controle.

Como planejar o orçamento para Segurança da Informação?

Pesquisas de líderes do setor, incluindo a IBM, projetam que um orçamento saudável de segurança cibernética deve representar de 9% a 14% do orçamento anual de todo o departamento de TI.

No entanto, na realidade, as empresas gastam menos de 6% do total de orçamentos de TI em segurança e gerenciamento de riscos.

A segurança cibernética é um investimento, não uma despesa. Isso é essencial para os gerentes e empregadores entenderem quando se trata de orçamentar para segurança e implementar as mudanças certas no momento certo.

Porém, pode ser difícil priorizar o orçamento para Segurança da Informação no mundo acelerado e em rápida evolução da segurança cibernética corporativa. As prioridades precisam ser revistas continuamente.

Os seguintes domínios de segurança cibernética podem fornecer andaimes quando os departamentos preparam seus orçamentos anuais e trimestrais de TI.

Cada um deve ser revisto e discutido com as partes interessadas, uma de cada vez, garantindo que recebam a devida atenção e inclusão se considerarem que as prioridades institucionais contribuem para o ideal orçamentário.

  • Terceirização de TI e suporte a serviços: pode ser mais econômico para o departamento de TI fazer parceria com um fornecedor de segurança, especialmente para serviços como monitoramento de rede 24 horas por dia, 7 dias por semana, diagnósticos e correlações, alertas, relatórios e canais de mitigação quando ameaças são detectadas. Isso evita que o pessoal atual fique sobrecarregado em seus deveres, além de trazer especialistas a bordo que podem executar altos níveis de detecção e administração de ameaças;
  • Softwares de segurança: antivírus de vários níveis e antimalwares continuarão sendo preocupações orçamentárias críticas para os departamentos de TI em qualquer estágio. No entanto, os custos estão mudando de hardware e software tradicionais instalados para aplicativos virtuais e baseados em nuvem, além de soluções SaaS;
  • Aplicativos móveis seguros: a segurança móvel continua sendo uma ramificação frequentemente negligenciada dos orçamentos de segurança cibernética. No entanto, espera-se que os investimentos nessa categoria aumentem em importância à medida que as tecnologias de mobilidade e nuvem crescem. Desde aplicações móveis de filtragem web e firewalls para detecção de vírus e malwares em plataformas mobile, os departamentos de TI devem olhar de perto suas atuais capacidades e vulnerabilidades em suas operações móveis, em seguida, procurar soluções de software de conformidade.
  • Treinamento de conscientização de segurança: todo o trabalho que os gestores de TI colocam em planejamento e melhorias de segurança cibernética só ganha tração com o apoio dos funcionários. É por isso que, em tangente com investimentos físicos e técnicos, as empresas devem investir no treinamento de suas equipes. Práticas adequadas de treinamento e comunicação precisam ser revisadas, para dar aos funcionários o conhecimento e as ferramentas de que precisam para serem responsáveis.

Sua organização não pode prever cada ameaça cibernética. Isso não significa que ela precise acenar a bandeira branca de segurança, aceitando violações e perda de dados como algo inevitável.

As empresas hoje têm mais recursos do que nunca para defender suas redes, proteger registros e garantir operações sempre em conformidade. Com o parceiro de segurança certo, você pode fazer isso por uma fração do custo e dentro do orçamento para Segurança da Informação.

Gostou do nosso post? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco e veja como a AllEasy pode ajudar você a desenvolver e planejar um bom orçamento para Segurança da Informação da sua empresa!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *